Subir à Montanha com Jesus

28/abr/2011 - Nenhum Comentário

12/3/2007

Nesse trecho de Isaías, que é lido na celebração da Sexta-Feira da Paixão, vemos como um texto do Antigo Testamento, retrata com riqueza de detalhes, o martírio sofrido por Jesus para nos salvar de nossos pecados.

E nesse tempo de Quaresma, nós somos convidados a caminhar com Jesus rumo à Sua Paixão.

Somos convidados a caminhar com Ele o caminho do Calvário, viver com Ele todas as Suas dores.

Quaresma não é tempo de tristeza, já falamos bastante disso, Quaresma é tempo de transformação, que só vai acontecer se tivermos claro em nossa mente e em nosso coração, o exemplo de Jesus caminhando para o Calvário.

Quanto sofrimento, quantas dores Jesus sofreu, mas não desanimou. Quem assistiu ao filme A Paixão de Cristo vai se lembrar daquelas cenas tão fortes, que doem em nós cada vez que assistimos. E apesar de todo aquele sofrimento Jesus permaneceu firme.

Nós não devemos lembrar disso e nos entristecer, mas sim usar aquela imagem de Jesus a caminho do Calvário para nos fortalecer.

Todos nós vivemos o nosso Calvário, não existe situação mais difícil que a outra, pois cada um está vivendo a sua de forma individual. O que existe sim, é a maneira de cada pessoa enfrentar o seu Calvário. Quantas vezes olhamos para a situação de uma pessoa e pensamos: “eu não iria aguentar”. Na verdade, Deus nunca nos dá um fardo maior do que conseguimos carregar. Ele sabe a medida que podemos suportar e nos fornece toda a ajuda para passar pelas dificuldades.

Quando olhamos para um problema na nossa vida, sempre, mas especialmente durante a Quaresma, devemos imediatamente trazer à nossa mente a imagem de Jesus a caminho do Calvário. Pense em tudo o que Ele sofreu por você, e peça que esse Jesus chagado te capacite a viver a sua cruz. Não se esqueça do que Isaías disse: “Ele tomou sobre si nossas enfermidades”

O tempo da Quaresma é rico por isso, pois nos permite meditar sobre esse sofrimento de Jesus, tirando d’Ele o amor. A única coisa que restou de todo aquele sofrimento foi o amor, todo a dor simplesmente desapareceu.

Mas lógico que não podemos dizer que esse exercício é simples, pois somos humanos, fracos e temos dificuldade para enfrentar nossos problemas sem nos apavorar. Por isso mesmo Jesus não nos deixou por nós mesmos nesse mundo.

Por Sua morte Ele nos redimiu e nos purificou novamente perante o Pai. Ele nos deu mais uma chance e além de tudo, nos deixou “ferramentas” para nos ajudar na caminhada.

Santo Agostinho nos disse : “Entrega-te a Deus, não temas, porque, se Ele te coloca na luta, certamente não te deixará sozinho para que caias.”

Em primeiro lugar, Ele foi para o Pai após a sua ressurreição, mas deixou o Espírito Santo para nos acompanhar, para ficar conosco nos capacitando com todos os dons que necessitamos para seguir nosso caminho na busca da santidade. Nos é pedido simplesmente, que deixemos que o Espírito Santo aja em nós, nos conduzindo.

Deixou para nós também nosso bem mais precioso, Seu Corpo e Seu Sangue na Eucaristia.

Você já parou para pensar que riqueza infinita nós podemos encontrar em cada Eucaristia?

Precisamos nos lembrar que em todas as Missas, nos encontramos com o próprio Jesus, e muitas vezes estamos diante de tamanho milagre com a cabeça cheia de problemas de mundo, completamente alheios ao grande mistério da nossa fé.

Santo Cura d’Ars sempre repetia: “Se soubéssemoso valor do Santo Sacrifício da Missa, que esforço tão grande faríamos por assistir a ela”.

Nem sempre está claro para nós, que na Santa Missa é renovado o sacrifício de Jesus e ali, diante de nossos olhos, Ele se faz Carne e Sangue no altar para nos alimentar.

São Tomás de Aquino dizia: “Tanto vale a celebração da Santa Missa, quanto vale a Morte de Jesus na cruz”. O altar da Missa não é diferente do Gólgota onde Jesus foi sacrificado para nos reconciliar com Deus.

Através da nossa participação real, com o coração, na Santa Eucaristia, podemos nos alimentar para enfrentar o nosso Calvário junto com Jesus. Será muito mais fácil se estivermos com Ele dentro de nosso coração.

Não podemos nos esquecer também, que como complemento à nossa participação na Eucaristia, devemos também dedicar sempre um tempo para adorarmos Jesus no Santíssimo.

Muitas vezes entramos em uma Igreja e nem sempre lembramos da presença viva de Jesus no altar. Passamos por Ele como quem passa por uma vitrine de uma loja. A adoração é um momento íntimo seu com Deus. Você se coloca diante de Jesus e se dispõem a adorá-LO. Com palavras se quiser, em silêncio, o importante é que você se aproxime desse Deus que vai poder te ensinar a viver a sua vida de tal maneira, que o teu Calvário será mais suave.

Nessa Quaresma, busque com alegria, carregar suas cruzes como Jesus carregou a cruz no Calvário, confiante no amor do Pai e repleto de amor.

Faça comigo essa oração:

Senhor, ajuda-me a trilhar nessa Quaresma, o caminho que o teu Filho trilhou, com o coração alegre e confiante no teu Amor. Que os meus problemas não me amedrontem, e que eu possa através deles dar um passo importante na busca da minha santidade. Permita Senhor que eu sinta a presença forte de Jesus em meu coração na Eucaristia e em cada minuto de Adoração durante essa Quaresma, para que eu possa na Páscoa do Senhor, ressuscitar junto com Jesus para uma vida completamente nova. Amém!

Fontes: Livro O milagre da Eucaristia para você – Pe.Alberto Gambarini Mensagens do Padre Jonas (dias 7 e 8/03) – site Canção Nova


Evangelize conosco: compartilhe esta página com os seus amigos nas redes sociais:

Compartilhe


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *